Falecida

2 Comments

Cada segundo tomado pela dor, a conspiração do mal esmaga seus pulmões, sua voz entrecortada tenta gritar mas tudo falha. Os olhos queimam como uma fogueira interminável, ela sonha sonhos ruins, tenta ser forte, como numa guerra de tudo ou nada. Tudo a mata; a garota não tem mais o que fazer, seus pensamentos obscuros e disperços, a alma jovem não é verdadeira; a idade é outra por dentro, o coração bate quase parando. Mas o que fazer? Não há solução; a vida é cruel, a vida lhe desafia desde dos primeiros anos. Ásperos e espinhosos, os dias se arrastam como um predador se arrasta para atacar sua presa. Se ela decide olhar para os lados, verá que os montros que a cerca não darão trégua. Não há pausa nesse filme de terror; o drama continua sem que ninguém possa alcançá-lo.
A cabeça lateja, o corpo dói, a febre aparece e tudo acaba assim. Ela gostaria de se ajudar, mas não há respostas que solucionem. Às vezes as coisas se disfarçam de boas; elas enganam a garota dando-a ilusões à vulsa para depois despedarçar seu coração. Mas ela continua à espera; sentada e sobrevivendo com os olhos vazios esperando a consumação dessa vida ou o surgimento de uma nova. Ela ainda espera que a venham salvar.
Tudo a está fazendo se tornar uma garotá má; empurrando-a para o precipício escuro e profundo, e se  vida não melhorar . . . ela ficará louca, jogará tudo para o alto e nada mais terá sentido. Nada mais!


You may also like

2 comentários:

  1. A espera do golpe final, ahn D:

    P.s.: desculpe se meus comentários são muito deprimentes ou não servem de conselho, mas é que não sou otimista com os outros porque odeio que sejam otimistas comigo - é cruel demais ♥

    ResponderExcluir
  2. De forma alguma você deve desculpas amor. Foi graças ao seu incentivo que estou aqui. Concordo com suas palavras. A maioria das pessoas são para mim ... medíocres.

    ResponderExcluir