Desfoque

2 Comments

Te vejo vagando como uma criatura sem vida.  Te vejo no meio das sombras da meia-noite. Nem ao menos descubro teus olhos, para que talvez eu os possas descrever. Eu sinto sua dúvida no coração, eu vejo seu sorriso triste e forçado. Sei que o sangue pulsa doendo em suas veias, sei que você procura respostas para o buraco que existe em seu coração. Sei de tudo isto pois... Eu sou você! Eu sou aquela que você vê refletida quando olha o espelho. Sou tua sombra, teu desfoque, um padaço desconcertado do teu brinquedo torto. Eu sou tua parte dividida; aquela que se aninha no que você não pode explicar. Estou dentro das tuas entranhas, do teu passado, teus pesadelos. Dentro do raio que caiui na folha seca. Sou o fantasma que te fala das me mórias, sou a voz que te diz pra ter medo de alguém. Crio marionetes e faço um teatro onde você se perde no caminho, onde você fica sem reflexo, onde você fica sem voz. Te faço falar uma lígua estranha, te faço ficar sem rumo, te faço gritar sem eocar. Seja noite, seja dia,você sempre pode me encontrar. Basta ler as mensagens que eu lhe deixo nos muros por onde você passa. E mesmo que os anos passem, você não precisa tentar, eu não me explico nem me descrevo, simplesmente insido na sua alma. Não se reprima, eu me moldei nas linhas das tuas mãos, eu penetrei no ponto de luz dos teus olhos, eu fiquei no Desfoque na fotografia, e de lá... NÃO SAIREI!


You may also like

2 comentários:

  1. A princípio, a foto chama o interesse para o texto - ao menos, o meu. Seja um conto, um prólogo de terror ou até mesmo uma realidade, a palavras parecem não ter espaços entre si; mais do que prender atenção, fascina ♥

    ResponderExcluir
  2. Ah, meu bem, imagine que vou deixá-la. O link de meu Orkut está no cantinho direito do blog, é só procurar por entre algumas de minha indicações para sites.
    Mas adicione-me no MSN, erase.thesilence@hotmail.com
    Gosto muito de você, acredite. Gostaria de que conversássemos (:

    ResponderExcluir