Alter Ego

4 Comments
Desconheço quem fui a vida que mantinha, já que agora, em todos os lados que olho enxergo outra de mim empurrando-me ao precipício. Eu já não sei quanto o tempo vale e por que ainda passa para mim, que perdeu-se à tempos.
Todos aqueles com quem contava estão distantes demais, e não podem enxergar que meus olhos mentem quando digo estar bem, todos eles já não se interessam em procurar na minha voz algum resquício que denuncie meus verdadeiros medos.
Eu acordo para a morte sentindo-me quebrada em pedaços perdidos pelo mundo e sendo incapaz de achar os caminhos de busca. Eu escondo num sorriso a dor e o medo de ver minha própria sombra desejar me enforcar.
Estou tentando vomitar minha realidade, querendo no desespero que um único coração nessa imensidão devassa sinta minha dor, eu só quero dar um pouco de mim.
Fui tão traída e abandonada, estou tão destruída e perdida, que sei que tornei-me somente a distorção de um reflexo num espelho quebrado.


You may also like

4 comentários:

  1. saiba q os q se afastam de ti não somem nem te esquecem pois acredite tua simplicidade na forma de agir
    faz de vc inesquecivel ...

    abraço de um amigo ae ...

    ResponderExcluir
  2. "Fui tão traída e abandonada, estou tão destruída e perdida, que sei que tornei-me somente a distorção de um reflexo num espelho quebrado."

    Lindo! Parece que conseguiu expressar tudo o que eu tenho tentado colocar para fora e não consigo por um instante sequer. A solidão nos deixa tão insanos, que logo até mesmo a vontade de pensar se vai.

    ResponderExcluir
  3. O medo é cruel. Muito cruel. Principalmente quando este medo é alimentado pela vida - quando ele parece não ter fim, nem origem e nem descanço.
    Mas a solidão não precisa ser assim tão cruel. Pode parecer estrando - ainda mais vindo de mim, que talvez nunca fosse deixar de sofrer apenas por respirar -, mas tente se lembrar de que está é uma guerra que você está empreendendo contra si mesma, e que não há mais ninguém lutando além de você. Abaixe as suas armas. Tudo já foi destruído. Talvez seja hora de renascer das cinzas que restaram.

    ResponderExcluir
  4. as vezes as pessoas que amamos somem, algumas continuar a se lembrar de nós, outras nos apagam de suas vidas. as vezes a vida parece sem sentido, sentimos um desespero, uma tristeza profunda como se nada mais valesse a pena neste mundo.
    adorei a foto que vc colocou no post!
    se quiser, passe no meu blog, está atualizado http://artegrotesca.blogspot.com
    bjus

    ResponderExcluir