Uma Prece

4 Comments
Quis a vida que eu o odiasse, quis você mais ainda que isto fosse minha cruz. Pois aqui estou; agora vivo para odiá-lo... à você e ao resto do mundo dedico minhas forças vitais.
Desejo que crepites no fogaréu de uma dor que o faça revirar-se do avesso e desejar a morte mais que qualquer outra coisa. Uno minhas forças no pedido de que tenhas o sofrer tal qual segurar o céu sob os ombros, que sejas consumido pelo escárnio que pulsa em meu seio, e que minha vingança pulse em suas veias como ácido corroendo-o internamente.
Todos os demônios do mundo hão de possuí-lo e explodi-lo em centenas de fragalhos desprezíveis, aí então eu irei pisá-los e esmagá-los sob o peso de minha cólera. Estou a saborear este prato frio enquanto aguardo a hora certa, praguejando que você sufoque com sua própria mediocridade, que seja  usado como um verme e depois jogado fora como um objeto que é.
Todas as dores do mundo, e as desilusões, tudo que você e o resto fez questão de ensinar-me voltarão como um monstro desvairado e indomável, que te sangrará aos poucos, que o machucará gradativamente até que não reste mais nada além de sua rala lembrança em meu coração morto.
Somente apenas não leve-me a mal, não trata-se de nada pessoal, é que não é hora de perdoar, e sim de matar.


You may also like

4 comentários:

  1. excelente texto, parabens!!
    achei o máximo, principalmente essa parte "Todas as dores do mundo, e as desilusões, tudo que você e o resto fez questão de ensinar-me voltarão como um monstro desvairado e indomável, que te sangrará aos poucos, que o machucará gradativamente até que não reste mais nada além de sua rala lembrança em meu coração morto", maravihoso!!

    Coloquei um curta assustador de apenas 3 minutos no meu blog, se quiser ver: http://artegrotesca.blogspot.com
    bjos

    ResponderExcluir
  2. Uma vez me disseram uma frase, não lembro muito bem, então vou personalizá-la um pouco.
    "Não há na Terra fúria comparada a de uma mulher rejeitada nem nos Céus ódio de uma mulher traída."
    Sempre guardei-a, tentando esquecê-la para que meus fantasmas também desaparecessem. Mas essa raiva que guardamos não parece querer sumir, não?

    ResponderExcluir
  3. instigante!
    Essa também foi minha parte favorita(concordando com o rapaz) é o que tenho tentado cuspi na cara daqueles que ajudaram a arrancar dos lábios meus... os sorrisos que davam-me vida.

    ResponderExcluir
  4. Texto forte, antes de mais nada. Aliás, achei a foto... perturbadora, pesada. Existem - e eu já vi - piores, mas... vai saber. Vejo humor onde não tem e me assusto com coisas estúpidas.
    Achei-o realmente... corrosivo, tóxico, pulsante. Prece maldita para um encerrar de ano - curioso, foi a última do ano. E tudo isso o que digo, são elogios!

    Espero mesmo que continuemos juntas sempre, Diva. E que seu blog dê cada vez mais certo. Eu não só acredito, como também aposto no seu talento ♥

    ResponderExcluir