Frágil Melodia

3 Comments

   Espero que haja perdão para minha alma, que de alguma forma, essa minha tristeza não seja tamanho pecado que me condene ao inferno. Não havia ninguém lá quando eu menos mereci e mais precisei, eu estava com minha própria solidão, no escuro da dor, e agora- mesmo já chorado todas as minhas lágrimas- ainda dói imensamente e eu não consigo de triste deixar de ser.

   Eu guardo porque sei que não entenderiam, eu finjo porque é o certo a se fazer, mas dentro de mim já não há esperança alguma que mude o gosto de minha vida amarga. Essas feridas que pulsam não cessam, e o vazio ocupa tamanho espaço em meu peito porque sou agora apenas como uma melodia frágil e intocada.


You may also like

3 comentários:

  1. O texto está lindo como todos que vc escreve...Parabens...

    Bjos e uma boa semana

    ResponderExcluir
  2. ''Espero que haja perdão para minha alma, que de alguma forma, essa minha tristeza não seja tamanho pecado que me condene ao inferno.'' Exato. Eu só espero que todo esse acúmulo de mágoa que trago na alma e no coração, que me condena todos os dias e provavelmente por toda minha vida, também não me condene quando eu ''não mais existir'', é.

    Que texto mais belo! Você consegue exprimir sentimentos de um modo tão incrível. Parabéns, ah, que diva, rs.

    E percebi que você finalmente conseguiu voltar. Espero que em breve a gente consiga bater um papinho maroto, hihi. *-* Beijos :*

    ResponderExcluir
  3. Sempre haverá esperança.

    Abraços e parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir