Tenho fingido que já não te procuro mais pelas ruas onde ando, tenho fingido que não pronuncio o teu nome em voz alta, tenho fingido que estou mantendo o controle,  tenho fingido que tudo ficou bem. Mas apesar do meu esforço de mascarar minhas feridas, meus olhos parecem gritar tua falta.

   Meu coração se quebra a todo instante, pois a todo instante algo de ti, me faz lembrar. E aos saltos, eu sinto que tenho medo de te ver, te encontrar numa esquina qualquer, ao mesmo tempo em que me pego pensando como seria se não fosse o fim.

  Estou com o orgulho ferido, sinto que você me pisou, e o que mais dói é eu não te fazer falta e isso não te doer. Estou como uma criança indefesa no escuro, com o coração repleto de raiva por ter sido deixada para trás.

 Amei-te tanto que hoje te odeio mais, por isso dói tanto, porque ainda te amo. Não consigo fazer minha mente entrar em paz, e enquanto lá fora chove, eu chovo.  Feita de dor e abandono eu sei que não vou te superar.