Transborda

0 Comments
      https://secure.static.tumblr.com/b3c21132fadb56e497602c77f50a89b7/gejx0lu/Jsgoo9xmi/tumblr_static_tumblr_static_filename_640.jpg

      Voltei porque precisei, porque tem muita coisa entalada querendo transbordar, porque preciso achar uma forma de colocar em palavras para mim mesma, voltei porque talvez alguém leia e consiga entender. Eu voltei porque eu confio na expressão, porque eu mudei e passei por muita coisa, porque me sinto transformada e porque espero que grandes mudanças aconteçam em breve. Meu maior medo é que não aconteçam, de ficar presa dentro desse ciclo vicioso e frustrante que tem sido, que parece ser migalhas da vida rindo de mim, como se um gato estivesse no âmago arranhando para sair mas não houvesse túnel. 
      Tem sido dias bem sombrios, dias em que não entendo mais qual o propósito de nada, quem eu sou ou o que estou fazendo, dias em que não vejo saída e me sinto desesperada e gritando por dentro enquanto dou um sorriso jocoso por fora, e como dói e é esforço esboçar esse sorriso amarelo de quem na verdade não está nem um pouco feliz mas não quer dizer pela enésima vez que tem passado por problemas, porque ninguém entenderia, ninguém nunca entende. E aí, o que eu tenho feito e qual a cruz que tenho carregado? Varrer para debaixo do tapete os meus problemas e dores pessoais e colocar nos braços as dores de todos os outros, vinte e quatro horas online e disponível -e quando não, sendo cobrada por isso-, para ouvir as dores dos amigos, suas aflições, dizer as coisas que gostariam de ouvir e depois vê-los irem embora se recomporem.
        Mas o tapete está cheio de poeira, a banheira está transbordando de água e eu me sinto no limite. Cansada, muito mais do que fisicamente, muito mais que emocionalmente, eu estou cansada existencialmente. Estou cansada até enquanto digito esse texto, mas estou me esforçando para colocar para fora numa tentativa de esvaziar alguns milímetros dessa grande banheira inundada que sou, porque eu quero melhorar, quero ter esperança, porque eu não quero desistir mesmo que a vida queira me obrigar a isso todo os dias. Eu me sinto testada a sofrer mais e mais só para ver se terá alguma recompensa realmente de tudo isso no futuro, ou eu realmente ficarei presa nesse loop infinito de nadar contra a maré.
     Carl Jung disse uma vez "A solidão não vem de não ter pessoas perto de você, mas sim de não ser capaz de comunicar as coisas que parecem importantes para você.", mas eu estou aqui ainda tentando, cada um acha seu modo e por anos o modo como encontrei foi este aqui. Tem muita coisa que precisa ser dita ainda e eu não entendo, porque tem coisa demais acontecendo aqui dentro que me deixa desesperada e paralisada ao mesmo tempo, mas eu juro que estou tentando com o meu melhor.



You may also like

Nenhum comentário: